Instituto Trata Brasil lança balanço geral das obras do PAC

28 de setembro de 2016 Deixe um comentário

dsc_0663

Nesta terça-feira, 27 de setembro de 2016, o Instituto Trata Brasil lançou um balanço sobre as obras do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC).

Foram analisadas 340 obras do PAC 1 e 2 nas cidades com mais de 500 mil habitantes. São obras tocadas por empresas privadas de saneamento, municípios e estados com recursos federais, além disso, foi constatado que seis em cada dez obras de saneamento básico nas maiores cidades brasileiras estão paradas, atrasadas ou nem começaram.

 Apesar dos esforços do Governo Federal, estados e municípios em vencer os fortes entraves do saneamento básico, o PAC não conseguiu até o momento ser a alavanca que o setor precisa para vencer atrasos históricos, como o que vivemos no Brasil em questão do saneamento básico, pois são mais de 35 milhões de brasileiros sem acesso à água tratada, mais de 100 milhões sem coleta dos esgotos e somente 40% dos esgotos tratados.

Para conferir o balanço na íntegra, clique aqui.

 

Categorias:Saneamento

Parceria pela saúde

26 de setembro de 2016 Deixe um comentário

Publicado por: O Globo

031.JPG

Por: Édison Carlos

Nas últimas semanas, muito tem se falado sobre o novo programa do governo federal que incentiva uma maior participação do setor privado no saneamento básico, principalmente nos serviços de água e esgotos. Nesta primeira etapa, o programa pretende promover a entrada da participação privada nas empresas operadoras de Rio de Janeiro, Pará e Rondônia. E o tema já gera polêmica, especialmente por aqueles que entendem que a solução para o país seja um ou outro.

Os fatos e a história mostram que o descaso dos governantes com o crescimento desenfreado das cidades, em especial das áreas urbanas, fez com que as empresas operadoras não conseguissem acompanhar com os serviços de saneamento. Grande parte dos governadores, prefeitos e governo federal, nas décadas de 80 a 2000, fechou os olhos para a necessidade de planejar a parte sanitária das cidades.

Segundo dados do Ministério das Cidades (ano 2014), o país ainda tem 35 milhões de brasileiros sem água tratada, mais de cem milhões sem coleta de esgotos e que têm somente 40% de seus esgotos tratados. O avanço é lento e, a se manter esse ritmo, não conseguiremos levar água e esgotos a todos os brasileiros antes de 2050.

Cerca de 90% da população são atendidos por empresas públicas (estaduais ou municipais) e 10% por privadas. Significa que, apesar dos avanços do setor privado, é impossível pensar que ele substituirá o papel das empresas públicas. Então, a parceria entre ambos é a solução mais inteligente. Se tomarmos o último Ranking do Trata Brasil, veremos exemplos bons e ruins tanto no saneamento público quanto no privado. Das 20 melhores cidades, 16 são operadas por empresas públicas e quatro por sistemas com participação privada. Isso acontece também entre as piores cidades.

Já os números do Plano Nacional de Saneamento Básico mostram que o país precisará de R$ 300 bilhões para que todos os brasileiros tenham água tratada e esgotos. Com a dramática situação econômica de estados, municípios e governo federal, é certo que essas instâncias não terão como fazer frente aos desafios do saneamento e que é essencial a entrada do setor privado. Este pode aportar recursos adicionais, mas também trazer conceitos mais aprofundados de gestão, governança, produtividade, capacitação e outras características que somariam forças às empresas públicas.

Independentemente de ser público ou privado, portanto, o essencial é que haja fiscalização e regulação dos serviços, que se cobrem metas de desempenho e indicadores mínimos e que se preste um bom serviço ao cidadão. Que as tarifas sejam condizentes à capacidade de as pessoas pagarem, mas também de as empresas sobreviverem e investirem.

O Brasil precisa de menos polêmica e mais fundamento na realidade. Lembrarmos que saneamento traz saúde, protege as crianças, ajuda a educação e o turismo, gera renda e melhora nossos recursos hídricos. Isso sim é relevante para o país.

Édison Carlos é presidente-executivo do Instituto Trata Brasil

Categorias:Saneamento

Casos de sucesso em saneamento e perdas de água são temas discutidos no auditório da FGV em São Paulo

23 de setembro de 2016 Deixe um comentário

 IMG_1766.jpg

Promovido pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a Itron, a Subcomissão Permanente de Saneamento Ambiental da Câmara dos Deputados (SANEAR), o Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV, e o apoio da Sabesp, o evento “Casos de Sucesso em Saneamento Básico + Perdas de Água 2016”, que aconteceu dia 22 de setembro, no auditório da FGV-Itaú, em São Paulo, discutiu sobre os principais casos de sucesso em saneamento básico de algumas cidades brasileiras como também o panorama sobre perdas de água e suas consequências.

Édison Carlos, presidente do Trata Brasil realizou a abertura do evento e deu início ao primeiro painel, das autoridades do setor de saneamento, como a presença do Secretário Nacional de Saneamento Ambiental, Alceu Segamarchi Jr; Deputado João Paulo Papa (Subcomissão permanente de saneamento ambiental – SANEAR); a secretária adjunta Secretaria Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mônica Porto; Dr. Gesner Oliveira, do Grupo de Economia da Infraestrutura e Soluções Ambientais da FGV; e Jerson Kelman, Presidente da SABESP.

O segundo painel focou no avanço conjunto via consórcios intermunicipais/comitê de bacia, com a presença da Agência das Bacias PCJ, representada pelo diretor presidente, Sérgio Razzera, e os representantes da ARIS (Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento), de Santa Catarina, João Girardi (presidente e prefeito de Concórdia/SC) e Adir Faccio (diretor geral), com mediação do especialista em saneamento básico, Alceu Galvão, que questionou como as duas entidades conseguem engajar os diversos prefeitos nas discussões de regulação e tarifa, principalmente.

Logo em seguida foi a vez do Deputado João Paulo Papa mediar o painel  “Destaque em Indicadores de Saneamento” que enalteceu as cidades com os melhores números em água e esgotos, com a presença do prefeito Carlos José de Almeida, de São José dos Campos; Guilherme Menezes, de Vitória da Conquista; e Antônio Carlos Xavier, secretário municipal de Meio Ambiente de Contagem/MG. Durante a conversa, os gestores públicos foram interpelados sobre a conduta das políticas de saneamento em seus municípios e como fazer para que a população saiba reconhecer os esforços das prefeituras quando o saneamento básico é uma das prioridades de governo.

Encerrando os debates pela manhã, com a mediação do presidente-executivo do Trata Brasil, Édison Carlos, o quarto painel ressaltou as parcerias entre empresas públicas e privadas, e contou com a participação de Paula Medina, representando a AEGEA; Ricado Barreto da Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento); e Luiz Pannuti, diretor da Companhia de Saneamento de Jundiaí (CSJ). O debate rendeu boas respostas dos convidados, justamente num período em que se discute à nível federal a participação da iniciativa privada no setor de saneamento básico. Além disso, houve uma maior interação do público e dos internautas em procurar entender porque o setor privado, até mesmo no saneamento, sofre resistência dos políticos e de uma boa parte da população.

No período da tarde, ao iniciar os trabalhos, o vice-presidente de vendas da Itron, Samuel Lee, congratulou as mais de 150 pessoas presentes no auditório, e introduziu o painel seguinte, da Rede Brasileira do Pacto Global, que promoveu o lançamento da cartilha aos prefeitos do Movimento pela Redução das Perdas de Água. Minutos depois, o palestrante Kenneth A. Thompson, americano de Denver, representando a empresa CH2 M Hill, falou por uma hora com o público sobre os desafios da redução de perdas de água no mundo, mostrando casos reais de sucessos em que ele e sua equipe trabalharam, tanto na Austrália, como em Porto Rico e Ilhas Marianas. Por fim, sob a mediação novamente de Alceu Galvão, os cases de sucessos de agências e municípios foram discutidos, desta vez com a presença de Adriano Costa, presidente do Conselho Diretor da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Ceará (ARCE); Antônio Elisandro do DMAE de Porto Alegre; e Dalto Favero Brocchi da Ares-PCJ, que discorreram sobre os desafios e sucessos que suas entidades tiveram para estabelecer um trabalho no controle das perdas de água, envolvendo a população e o poder público diretamente.

Ao encerrar o evento, Édison Carlos e o Deputado João Paulo Papa reafirmaram o compromisso da entidade e do Congresso, especialmente por meio da SANEAR, em continuar dando mais visibilidade para os bons casos de saneamento básico e perdas de água, assim como buscando incentivar os municípios que ainda têm o que fazer.

VEJA A APRESENTAÇÃO EM PDF DE KENNETH A. THOMPSON (CH2M)

O EVENTO FOI TRANSMITIDO ONLINE E A GRAVAÇÃO PODE SER VISTA AQUI:

PERÍODO DA MANHÃ – https://www.youtube.com/watch?v=u_W0lam2AGw&feature=youtu.be

PERÍODO DA TARDE – http://youtu.be/3z5BCI-NpYY

Confira as fotos:

Categorias:Saneamento

Cantor veste a camiseta da campanha Saneamento Já!

21 de setembro de 2016 Deixe um comentário

14435091_1347810931926395_4429618589360975958_o

O cantor Zeca Pagodinho também , também vestiu a camisa da Campanha SANEAMENTO JÁ, promovida pela SOS Mata Atlântica em parceria com o Trata Brasil.

O foco principal da Campanha é alertar a população sobre seus direitos com o saneamento básico, sobretudo obter políticas públicas e a ações que possam garantir a universalização do saneamento e a qualidade de vida, visando o acesso aos serviços mais básicos, como até mesmo o esgoto tratado, e a preservação de nossas praias e rios.

Além de assinar online, a população pode baixar o arquivo da folha da campanha para recolher assinaturas. Quer fazer a diferença? Assine aqui.

#SaneamentoJá #EsgotoTratado #PraiasLimpas #RiosLimpos

Categorias:Saneamento

Conheça o embaixador: Daiane dos Santos

19 de setembro de 2016 Deixe um comentário

 

O Trata Brasil é composto por grupo de embaixadores que além de representar a instituição, apoia suas ações pela universalização do saneamento. São cerca de 20 embaixadores, entre eles estão pesquisadores, especialistas e autoridades do setor.

daiane-00_12_07_03-still001

Daiane dos Santos, ginasta brasileira, nasceu em Porto Alegre no ano de 1983. Fez história com a vitória e conquista da primeira medalha de ouro brasileira em mundiais nos exercícios de solo, e até hoje é consagrada no meio.

Para Daiane defender uma causa nobre como essa é essencial para que o Brasil seja mais justo. É uma vergonha saber que metade da população brasileira não tem acesso a coleta e a tratamento de esgoto e que a solução para essa situação é demorada e burocrática.

“Todos nós devemos nos unir para exigir esgoto tratado e coletado em nossas casas. Da mesma forma que acredito na força de vontade dos nossos atletas para transformar o Brasil na potência do esporte, acredito na força do brasileiro de lutar contra essa triste realidade. Sem saneamento não há saúde nem desenvolvimento no esporte”, finaliza Daiane.

Conheça os demais embaixadores do ITB, clique aqui.

Categorias:Saneamento

Presidente do Trata Brasil diz que recebe ‘com satisfação’ concessões ao saneamento

16 de setembro de 2016 Deixe um comentário

Por: CBN

esgoto_guarulhos_12_610x340

Esgoto a céu aberto no Jardim Imperial em Guarulhos (18/09/14).  Crédito: Joyce Ribeiro/CBN

Édison Carlos faz um alerta ao traçar o cenário do saneamento no Brasil. Ele afirma que ainda não conseguimos levar esgoto para metade da população e só 40% dos esgotos do país são tratados.

Segundo o presidente do instituto, é a primeira vez que o governo federal coloca o saneamento na mesma ordem de importância de outras infraestruturas historicamente mais bem atendidas, como rodovias e aeroportos.

Carlos diz que o ponto diferente no anúncio feito esta semana é o fato de falar com os governadores. Ele cita que a Lei do Saneamento, de 2007, trouxe a responsabilidade do saneamento aos prefeitos e ‘se esqueceu de que as grandes empresas estaduais, que atendem 70% da população, são domínio dos governadores’.

Categorias:Saneamento

Trata Brasil apoia Manifesto pela Água

14 de setembro de 2016 Deixe um comentário

14264943_1774356052853896_4861620706608466640_n

O Instituto Trata Brasil é um dos apoiadores do Manifesto “Nova Cultura de Cuidado com a Água”, promovido e articulado pela Aliança pela Água, instituição criada em outubro de 2014.

O principal objetivo do manifesto é chamar atenção de prefeitos e outros governantes para que o tema “água” seja um dos principais debates eleitorais deste ano e obter compromisso concreto de candidatos a prefeito e vereador em escala nacional com a adesão ao Projeto de Lei “Política de Segurança Hídrica Municipal”, resgatar o tema “crise hídrica” na corrida eleitoral pela prefeitura de São Paulo.

Além disso, ampliar conhecimento sobre o papel dos municípios para construção da segurança hídrica, engajar sociedade civil organizada por meio do Manifesto por uma nova cultura de cuidado com a água.

Participe do manifesto, clique aqui.

 

Categorias:Saneamento
%d blogueiros gostam disto: