Apesar do risco que a América Latina corre com a crise financeira global, investir em infra-estrutura pode ser uma grande oportunidade para os países latino-americanos conquistarem um crescimento econômico equilibrado. Segundo Norman F. Anderson e Alexandre Barros, em artigo publicado na seção Opinião do Estadão de hoje, a medida ainda que agressiva blindaria a economia real da América Latina, lançando fundamentos para a produtividade e competitividade, trazendo grandes benefícios e resultados extraordinários.

O investimento seria entre $ 30 bilhões e US$ 40 bilhões, que são apenas cerca de 1,5% do produto nacional bruto da região, o que geraria imediantamente 600 mil empregos diretos e 1,8 milhão de empregos indiretos. Esse dinheiro seria direcionado a projetos estratégicos que contribuam com outros benefícios como o aumento da competitividade latino-americana a longo prazo, em áreas de “alto impacto com pouco gasto” , tais como a eletricidade eficiente e barata, sistemas transporte de massa, água e saneamento e sistemas avançados de logística.

Veja o artigo na íntegra através do link:http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20081017/not_imp261453,0.php

Anúncios