Os resultados da mais nova pesquisa contratada pelo Instituto Trata Brasil junto a Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre os impactos sociais relacionados a falta de saneamento nas 12 cidades brasileiras que serão sede dos jogos da Copa do Mundo, em 2014, mostram que em acesso à rede de esgoto: Belo Horizonte atende 97,05% das residências, São Paulo,  88,52%, Salvador, 87,77%, Rio de Janeiro, 83,73%, Brasília, 80,17%, Curitiba 79,37%, Fortaleza 54,62%, Porto Alegre, 49,29%, Recife, 47,12%, Cuiabá, 41,21%, Manaus 34,98% e Natal, 21,26%.

O impacto na saúde devido a falta de saneamento revela que, no item morbidade hospitalar (por mil habitantes), as capitais sede que mais apresentaram doenças infecciosas e parasitárias em crianças de 1 a 4 anos, em 2008, foram Fortaleza (18,95%), Recife (16,07%) e Manaus (16,03%). As cidades que tiveram menor índice foram Rio de Janeiro (3,79%) e São Paulo (3,93%). As informações do estudo tem como base os dados da PNAD 2007/IBGE.

Acompanhe os resultados da pesquisa:

  • Pesquisa compara índices de rede de esgoto nas cidades que sediarão jogos da Copa e mostra que ainda é necessário investir bastante em saneamento
  • Investimento de R$ 7 bilhões nas cidades sede é o ideal para oferecer saneamento básico adequado
  • No Brasil, apenas 39% das escolas contam com rede e coleta de esgoto
  • A pesquisa completa pode ser acessada pelo endereço www.tratabrasil.org.br

Copa 2014