O presidente do Instituto Trata Brasil, André Castro, participou na tarde da última segunda-feira, 21, do Seminário Universalização do Saneamento no Brasil, promovido pelo mandato do Vereador Francisco Chagas, na Câmara Municipal de São Paulo.  Chagas abriu o Seminário e explicou aos presentes que o objetivo do evento é mobilizar a opinião pública sobre o tema e buscar soluções para aquilo que é mais elementar para uma vida civilizada que é o acesso ao serviço de saneamento básico.

Na ocasião, André Castro falou aos presentes sobre os projetos desenvolvidos pelo Instituto Trata Brasil e chamou atenção para o fato de que o saneamento é o serviço com menor taxa de acesso pela população. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (PNAD – 2008), o acesso a rede geral de esgoto atinge apenas 51% da população, enquanto o acesso a eletricidade, por exemplo, é quase universalizado, atingindo 98,6%.  

Para ele, é necessário um maior grau de comprometimento em melhorar a cobertura de saneamento no País, que é o 9º colocado no ranking mundial da vergonha, com 13 milhões de habitantes sem acesso a banheiro, segundo estudo da OMS/Unicef.

Também participaram do Seminário o vice-presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIBD), Newton Lima Azevedo, que comentou sobre a Lei de Saneamento e a necessidade de parceria entre empresas públicas e privadas na execução de projetos de saneamento básico; e o Superintendente Nacional de Saneamento e Infraestrutura da Caixa Econômica Federal, Rogério de Paula Tavares, que destacou que o governo federal está disponibilizando recursos do PAC para essa área num total de R$ 39 bilhões. A previsão para os próximos anos está em torno de R$ 45 bilhões.

Anúncios