Moradores da comunidade da Rocinha no Rio de Janeiro também foram a luta para a busca de saneamento e saúde, cerca de 500 manifestantes  percorreram o trecho da via até a comunidade do Vidigal. E conseguiram alcançar seu objetivo.

Imagem

Saneamento básico, drenagens de valões e urbanização vão ser prioridades nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 na favela da Rocinha, na zona sul da cidade. As obras, que devem começar no final deste ano, foram lançadas em junho pela presidente Dilma Rousseff, e estão orçadas em R$ 1,6 bilhão. A previsão é de que fiquem prontas em 2015.

O secretário estadual de Obras, Hudson Braga, disse hoje (1º), em nota, que as obras do PAC 2 fazem parte do plano diretor da Rocinha, elaborado por engenheiros, arquitetos e técnicos do estado, depois de discussões com as lideranças da comunidade, desde 2008.

“A maior parte dos investimentos será nessas obras. Vamos atender a mais de 20 mil moradias com saneamento básico. Haverá 100% de tratamento do esgoto que hoje desce a céu aberto pela Rua do Valão. Vamos separar toda a água da chuva, o esgoto e o lixo e, além disso, vamos fazer creche, escolas e urbanização”, explicou.

Também está programada para as obras do PAC 2 a implantação de um teleférico na Rocinha. O sistema é um meio de transporte de massa interligado à estação de metrô da Linha 4, prevista para ficar pronta no final de 2015.

“O teleférico vai transportar diariamente milhares de pessoas, a exemplo do que ocorre hoje com o do Complexo do Alemão, interligado aos trens da Supervia na Estação de Bonsucesso. Uma pessoa que mora no topo da Rocinha vai poder usar o teleférico e se conectar com o metrô. De lá, irá para a Barra, onde se conecta com os BRTs [sigla em inglês para transporte rápido por ônibus] e pode chegar até Santa Cruz. Vai a Ipanema, Leblon, para o centro da cidade. Pode usar também os trens da Supervia e chegar até a Baixada Fluminense. E ainda gera muitos empregos” ressaltou o secretário.

O PAC 2, parceria entre os governos federal e estadual, também inclui a construção de um espaço de desenvolvimento infantil (EDI), que integra creche e pré-escola, além de oficinas sociais e culturais nas estações do teleférico e nos novos conjuntos habitacionais.

Por meio do PAC 1, iniciado em 2008, o governo federal investiu R$ 272 milhões na Rocinha. As obras de complementação do PAC 1, orçadas em R$ 22,5 milhões, estão em andamento. A parte final do programa compreende a finalização de uma creche, a construção do mercado popular e a reurbanização do Caminho dos Boiadeiros, além de implantação de redes de abastecimento de água e de esgoto.

Anúncios