Foto: Marcio Fonseca (www.panoramio.com/photo/19933311)
Foto: Marcio Fonseca (panoramio.com/photo/19933311) Baia de Guanabara – RJ

 

Há cinco anos o Brasil foi escolhido para ser sede da Copa do Mundo de 2014. No momento da escolha os pensamentos que predominavam, além da empolgação, eram as melhorias que o país poderia receber graças à grandiosidade de um evento dessa magnitude. Em entrevista para o TerraTV, Édison Carlos, presidente do Instituto Trata Brasil, afirma que, pelo menos no Saneamento Básico, a Copa não trouxe nenhum benefício até agora.

O Ranking de Saneamento do Trata Brasil divulgado esse ano pelo Instituto mostra que ainda há carência de serviços básicos nas maiores cidades do país, inclusive nas cidades sede da Copa. “Ninguém fez nada a mais por conta da Copa, não houve nenhum compromisso do governo brasileiro com a FIFA para melhorar saneamento básico”, confirmou Édison Carlos.

O Brasil receberá milhares de turistas na mesma situação de cinco anos atrás. “Hoje nós vemos que não há mobilidade, que mal conseguirão finalizar os estádios. Então, como teremos saneamento básico se nem as coisas mais importantes como a mobilidade das pessoas que vão aos jogos foram feitas?”, indagou o presidente.

Anúncios