No mundo, mais de um bilhão de pessoas não têm acesso a banheiro. No Brasil, o número de 4%, apesar de parecer baixo, quando revertidos em pessoas totalizam mais de sete milhões de brasileiros que também sofrem com esta ausência. A situação atinge principalmente os países em desenvolvimento, e, como consequência da falta de saneamento, mais de um milhão de mortes são contabilizadas por ano no mundo em decorrência as doenças provindas do contato direto com os dejetos humano e/ou esgoto ao céu aberto.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado. Destas mortes, aproximadamente 84% são de crianças.  As porcentagens alarmantes comprovam que a falta de infraestrutura básica prejudica em grande escala a saúde dos cidadãos.

Um assunto básico que é o saneamento deveria estar extinto das preocupações de quaisquer governantes do mundo em pleno ano de 2013, quase 2014, mas ainda assim milhares de pessoas sofrem com a precariedade do assunto. O ‘Dia Mundial do Banheiro’ veio lembrar o mundo que a situação precisa ser revertida e propõe medidas urgentes aos governos dos países emergentes.

Anúncios