Mancha de esgoto no litoral de São Gonçalo, próximo à Rodovia Niterói-Manilha / Fonte: Redação SRZD
Mancha de esgoto no litoral de São Gonçalo, próximo à Rodovia Niterói-Manilha / Fonte: Redação SRZD

Velejadores, pescadores, banhistas, e todos os amantes do mar e usuários das águas da Baía de Guanabara estão convidados a participarem de uma manifestação nas águas da Enseada de Botafogo, dia 16 de fevereiro, para cobrar das autoridades públicas a despoluição da Baia de Guanabara. Intitulado de ‘Revoada do Saneamento’, o evento é organizado pela Comunidade Náutica, que inclui o Iate Clube do Rio de Janeiro e Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro, com apoio do Instituto Trata Brasil e da rede Meu Rio. A concentração está marcada às 12h30, em frente ao Monumento Estácio de Sá com largada na Enseada de Botafogo, entre a CR e o monumento, às 13h. Faixas pretas serão hasteadas como uma demonstração de luto pelas águas da baía.

A “Revoada do Saneamento” é um movimento espontâneo, sem nenhum viés político, e a meta é mobilizar todo tipo de embarcação para fazer um “businaço” na largada e durante o percurso até a Marina da Glória. Veleiros (que poderão empregar a propulsão mecânica), lanchas, traineiras, caiaques, canoas havaiana e SUPs estão aptos a participarem do ato.

Esgoto no Canal Da Cunha próximo a entrada da Cidade Olimpica / Redação SRZD
Esgoto no Canal Da Cunha próximo a entrada da Cidade Olimpica / Redação SRZD

Percurso: navegar ao longo da orla do Morro da Viúva e Praia do Flamengo até a altura da Escola Naval. É importante frisar que este evento é um “desfile/parada”, portanto é imprescindível que haja atenção para manter velocidades baixas e o aglomerado das embarcações. A comunicação manterá escuta no Canal 77.

Esgoto doméstico e industrial assola Baía de Guanabara

Paraísos naturais e cartões postais do Brasil, as praias do Rio de Janeiro hoje passam por sérios problemas com o lançamento de esgotos domésticos e industriais diariamente. O que era uma preocupação no passado, hoje já é uma triste realidade. A Baía de Guanabara, principal local de competição das Olimpíadas de 2016 para as modalidades aquáticas, passa por um grave problema com a poluição causada pela falta de tratamento de esgotos dos municípios que margeiam a baía.

Atualmente com seis milhões de pessoas, o Rio de Janeiro coleta 77,8% do esgoto e trata apenas 51,9%, de acordo com os dados do Ranking do Saneamento do Instituto Trata Brasil (base SNIS 2011). Entretanto, mais de seis milhões de pessoas vivem nos municípios no entorno da Baía de Guanabara. São 16 municípios onde praticamente não existe tratamento de esgoto e o resultado não poderia ser pior: quase todos os esgotos destes municípios vão parar diretamente e sem nenhum tratamento na Baía de Guanabara.

O Comitê Olímpico Internacional (COI), quando assegurou ao Rio de Janeiro o direito de sediar as Olimpíadas 2016, impôs ao próprio município fluminense a despoluição de 80% da Baía de Guanabara.

Além dos programas em andamento que visam o fim dos lixões que despejam chorume, o “Plano Guanabara Limpa” contempla o Programa PSAM financiado pelo BID e que através da implantação de redes coletoras e estações de tratamento de esgotos tem como objetivo reverter o estado de degradação ambiental da Baía de Guanabara.

Há dois anos e seis meses para o maior evento esportivo do mundo, as intervenções estão atrasadas e pouco foi feito para despoluir a baía e o que resta agora é cobrar mais atitude e responsabilidade das autoridades para que a meta seja cumprida.

Baia de Guanabara - Fonte Uol
Baía de Guanabara / Fonte: Uol
Anúncios