ACC_0400
O estudo “Saneamento em Áreas Irregulares no Estado de São Paulo” foi apresentado em evento público na Escola Superior do Ministério Público de SP em novembro de 2015

Esta semana a imprensa de Campinas (SP) deu um importante destaque para o estudo do Instituto Trata Brasil, “Saneamento em Áreas Irregulares no Estado de São Paulo”, ponderando os principais dados revelados pela pesquisa. Economicamente importante para o Brasil, e uma das principais cidades da América do Sul, Campinas também apresenta dificuldades no saneamento básico, sobretudo com as áreas irregulares.

 Ao todo, de acordo com o estudo do Trata Brasil, são 245 áreas que correspondem a 21% da população do município; são comunidades que ainda não têm serviços de coleta e tratamento dos esgotos, assim como abastecimento de água, devido a vários fatores, dentre eles o fato de estarem em áreas irregulares.

 De acordo com o coordenador do estudo, Alceu Galvão,  o risco à saúde é iminente nestas áreas . “Se  o cidadão não tem uma água segura, tratada nos padrões de qualidade, ele vai ter de buscar água em poço, o que pode ocasionar doenças”.

De acordo com o comunicado da SANASA, empresa responsável pelo saneamento da cidade de Campinas, para a imprensa local, um plano de saneamento básico está sendo instalado nas regiões afetadas pela falta de saneamento.

 

Anúncios