saneamento-02
Ilustração: Helder Santos/Época Negócios

Sabemos que saneamento básico é um direito do cidadão e faz parte do desenvolvimento humano, tanto nos aspectos econômicos e sociais, quanto no que se refere à saúde. Apesar da importância do setor e de sua influência para diversos componentes da qualidade de vida e do desenvolvimento, os investimentos na área são insuficientes, considerando que a regularização de serviços de tratamento de água e esgotamento sanitário é um grande passo para alcançarmos reflexos imediatos na situação do País.

De acordo com Édison Carlos, presidente executivo do Instituto Trata Brasil, a questão do saneamento básico no País foi e ainda é maltratada com a falta de auxílio do poder público. “O saneamento tem que ser prioridade dos prefeitos e dos governadores. Ao mesmo tempo, precisamos mostrar ao cidadão a sua importância, de forma a que ele também se mobilize por soluções, sobretudo, na defasagem e fragilidade desses serviços”.

 Dentre as vantagens econômicas ligadas ao saneamento básico, estão: novos investimentos em áreas que afetadas e que podem ser tratadas, mais oportunidades no mercado de trabalho e diminuição de colaboradores faltando ao emprego por doenças adquiridas nessas áreas irregulares.

Além disso, estima-se que a universalização do saneamento, permite o turismo aumentar o PIB em R$ 12 bilhões, pois em áreas sem saneamento, os imóveis valem menos e atraem menos turistas.

Ainda para Édison Carlos, o Brasil só tende a ganhar com investimentos adequados nesse setor, ainda mais com a chegada das Olimpíadas neste ano de 2016.

Anúncios