OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sabemos que uma grande parte da população não tem coleta de esgoto, o que corresponde a mais de 100 milhões de brasileiros que não tem acesso a este serviço. Dados do SNIS 2014 revelam que a média em tratamento dos esgotos no Brasil foi de 40%; estudo mais recente do Instituto Trata Brasil, Ranking do Saneamento, mostra que esta média para as 100 maiores é um pouco superior, indo para 50,26%.

De acordo com estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil, Ociosidade das Redes de Esgoto, mais de 3,5 milhões brasileiros têm disponíveis os serviços de coleta dos esgotos, porém não estão ligados às redes, e, portanto, despejam seus esgotos de forma inadequada no meio ambiente, como por exemplos nos rios.

Muitos prestadores de serviços, públicos e privados, apontam na mesma direção; alegam que além dos problemas tradicionais da falta de recursos para a expansão do saneamento básico, há também a falta de colaboração dos cidadãos. Não são todos que têm o privilégio de ter redes coletoras disponíveis, contudo estes 3,5 milhões de pessoas que não se ligam na rede afirmam que não querem pagar a conta, quebrar o piso ou até mesmo que não são informados pelas próprias empresas que existe o serviço disponível.

O problema é crônico. Soma-se a isso a falta de vontade política. Não esqueçamos que são mais de 5 mil piscinas olímpicas de esgotos sendo despejadas irregularmente na natureza. Quem sai perdendo é a nossa saúde.

Anúncios