Ranking-blog

Lançado desde 2009 pelo Instituto Trata Brasil, o Ranking do Saneamento Básico das 100 maiores cidades do país, é um dos principais estudos da entidade. O objetivo principal da pesquisa é chamar atenção dos preocupantes indicadores de saneamento nas 100 maiores cidades do Brasil.

Realizado em parceria com a GO Associados, especializada em saneamento básico, o trabalho usa dados oficiais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), Ministério das Cidades.  Os números são informados pelas próprias empresas operadoras de água e esgotos dos municípios brasileiros ao Governo Federal, portanto, são números oficiais das próprias cidades.

O Ranking avalia a evolução dos indicadores de água, esgotos, investimentos e perdas de água nas maiores cidades e com foco nas capitais brasileiras, além disso, apresenta dados das 20 cidades que possuem os melhores e 20 piores índices de saneamento.

Em 2012, pela primeira vez, o estudo fez uma projeção da evolução dos indicadores das 20 melhores e 20 piores cidades ao longo dos anos, projeção que continua atualmente com o novo estudo.

Outro Estudo – Diagnóstico de Doenças de veiculação hídrica 

Paralelamente ao Ranking do Saneamento, o Trata Brasil elaborou um diagnóstico de algumas doenças de veiculação hídrica – diarreia, dengue e leptospirose – nas 10 melhores e 10 piores cidades em saneamento, com base nas classificações do Ranking 2017.

O diagnóstico fez comparações entre a incidência de casos de doenças nas melhores cidades e as piores como forma de mostrar que um melhor acesso aos serviços de água e esgotos realmente afastam grande parte das doenças da água poluída. O estudo foi feito especificamente para esse conjunto de 20 cidades (citadas no Ranking) por serem as situações extremas de avanços e desafios para a universalização dos serviços.

De modo geral, os resultados mostram a necessidade de haver um maior comprometimento dos governos federal, estaduais e municipais para universalizar o saneamento no país.

Para conferir o Ranking do Saneamento 2017 e o estudo de doenças, clique aqui.

Anúncios